sábado, 24 de outubro de 2015

Tróia - 2014/2015
30*30 cm  Pastel,  acrílico sobre papel
890€



Perfume - 1993
A4. Pastel, tinta da china, acrílico sobre papel
1500€


Simetria oculta do amor Redenção - 2015
A4. Guache, aguarela, lápis de cor, acrílico sobre papel
1200€


Mar - 1998
 A4. Guache e acrílico sobre cartão
1100€


Furacão - 2014/2015
A4. Aguarela, lápis, de cor Guache, acrílico sobre cartão
750€


Sonho - 1996
A4. Acrílico sobre cartão
450€


Quioto - 2015
A4. Pastel e  lápis, de cor sobre papel
440€


Viagem - 1996
A4. Acrílico sobre cartão
220€


Terra queimada - 1996
19*22 cm Guache sobre cartão
580€



Chamo-me Aladino Van-Dúnem, assino sempre como Aladin Van-Dúnem. Sou Lisboeta Alfacinha de gema com raiz Angolana. Trabalho com novas tecnologias a mais de 20 anos, como Programador, Web Designer e Blogger. Vivo a Arte, em especial a Plástica, na qual sou mais expressivo. Mas sou fundamentalmente um humanista, que se preocupa com questões sociais e ambientais.

Pouco ou nada hoje se acrescenta de novo. Um detalhe, um pormenor. Muitas técnicas e estilos se desenvolveram e longe se chegou na descoberta a nível: artístico, tecnológico. Penso que tanto uma coisa como outra se esbarra agora no frio de tudo estar previamente projectado, definido num tempo em que iluminados, artistas, pensadores, deram seu contributo para este “Admirável Mundo Novo” que tanto têm para ostentar e desfrutar, e tão pouco põe á disposição do bem comum. Assim sendo. Na minha forma de ser, coloco á frente da técnica, estilo ou belo. O conceito e a mensagem. Uma mensagem de unificação que ultrapasse tempos e sare feridas em nós, e dos que de nós não se despediram em paz. Reencontre e aproxime pessoas, desenvolva linhas, fios de sentimento. Nos traga paz e em linha a outros. O estilo é cada vez mais meu, assim como a criatividade de mim indissociável, mas é a mensagem de unificação e reencontro entre homens e o que o homem toca que pretendo passar. Esta explícita em determinado contexto nos meus trabalhos debaixo do tema: Simetria oculta do amor, da Redenção, em que começo a viajem ao Éden, jardim idílico na intenção de me resolver com nossos ancestrais  ligando alguns fios soltos há milénios atrás, percebendo onde foi parar a humanidade que leva o homem a olhar para seu irmão com a mesma indiferença que dá ao lixo, como se demonstra bem explicito no presente drama dos refugiados. Assim como noutra direcção o Furacão foca  o que de mais nocivo o homem faz á natureza, e por consequência  obtêm dela o pior como resposta. Em tons suaves, a dor dissipa-se com as cores, mas a mensagem passa e o furacão esta lá em toda a sua verberação até ao seu próximo grito caso não o escutemos.  Cor, traço, plástico, digital e tecnológico, tenho o que muitos atrás não dispunham esta incrível complexidade entre matéria, sentimentos, pessoas, podendo hoje comunicar a milhões o que de novo desponta através de toda esta interacção entre mim e vós.

Interessados contactar:  aladinvandunem@hotmail.com

Aladin Van -Dúnem